Grupo Dimensão | Treinamentos e Consultoria.

Inspire-se

Seja o tipo de pessoa que você gostaria de conhecer, INSPIRE-SE!

  • Dicas
  • Cisne Negro

    Cisne Negro

    Se você ainda não assistiu reserve um tempinho na sua agenda, se já assistiu recomendo que assista mais uma vez com um olhar voltado para o funcionamento humano.

    A trama acompanha a montagem de um balé clássico, O Lago dos Cisnes, de Piotr Ilitch Tchaikovsky, por uma companhia que decide aposentar sua

    primeira bailarina, Beth, brilhantemente interpretada por Winona Ryder. A partir deste momento iniciam-se os testes para sua substituição. Esta é a oportunidade que Nina, a protagonista da história, uma atuação magistral de Natalie Portman, sempre desejou, e ela dá tudo de si para conquistar a vaga.

    No momento em que ela é escolhida para interpretar a Rainha Cisne, a realização de seus sonhos, as pressões exercidas pelo coreógrafo Thomas e por sua mãe possessiva, uma ex-bailarina frustrada, vivida pela atriz Barbara Hershey, levam Nina ao limite de sua psique já perturbada, até atingir o ponto crucial onde todas as fronteiras entre realidade e imaginação, loucura e sanidade, são transpostas.

    Talvez um dos elementos mais perturbadores deste filme seja seu ponto de vista, que transporta o público para o interior da mente atormentada e doentia de Nina; esta é a única versão da história, não há outras visões da mesma narrativa. Este ‘detalhe’ tem um impacto profundo sobre a plateia, pois a partir de um determinado momento não conseguimos mais distinguir o que é real do que é mera alucinação.

    Nina é a bailarina que busca a perfeição da técnica; ela é o Cisne Branco ideal, pois representa a inocência, a pureza e a doçura que a personalizam. Por outro lado, ela é radicalmente controlada, disciplinada e reprimida; mas Thomas a escolhe porque sabe que em algum ponto de sua alma está presente o Cisne Negro, símbolo da sexualidade, da sedução e do mal.

    Enquanto no Lago dos Cisnes duas irmãs gêmeas disputam o príncipe que traz consigo a libertação de um feitiço que as mantêm cativas nos corpos de dois cisnes, o branco, que traduz a luz de uma, e o negro, que simboliza as sombras que habitam a alma da outra, as mesmas forças se confrontam no interior de Nina, que luta desesperadamente para permitir que sua face sombria se manifeste. A única forma que ela encontra de extravasar seus sentimentos é através da automutilação; quando seu corpo sangra, as emoções jorram de sua alma como se finalmente uma porta fosse aberta.

    Ao mesmo tempo, ela entra em conflito com sua mãe, o que intensifica ainda mais seu desgaste psíquico, e passa a projetar seus medos mais primitivos em outra bailarina, Lily, interpretada por Mila Kunis, que se destaca como coadjuvante. Ela não tem uma técnica apurada, mas apresenta a naturalidade e a sensualidade que Nina mais deseja expressar. Quando as duas se aproximam, a mente da protagonista imediatamente a identifica como sua principal rival, na verdade uma personalização de sua sombra.

    O que se vê na tela é a essência da arte, um jogo de sedução e fascinação, e cenas que beiram o mais profundo terror psicológico. Esta inusitada combinação provoca um impacto único e inesquecível no público, pois toca as profundezas do inconsciente humano, seus abismos mais sombrios, e prova que a alma humana é tecida por luzes e sombras. A trajetória de Nina atesta que é impossível qualquer possibilidade de crescimento emocional sadio quando esta esfera mental é simplesmente desprezada e reprimida.

    O desfecho do filme é ainda mais impactante. A encenação do balé, principalmente a atuação do Cisne Negro, é tão sublime, que nenhuma palavra, por maior que seja sua magia, poderá descrever. Vale a pena assistir e refletir sobre o perfeccionismo.


    Zootopia

    Zootopia

    filme da Walt Disney, acerta em cheio. Lúdico, colorido, com uma aventura empolgante e muitas referências atuais, o longa aborda o problema do preconceito de forma inteligente, mostrando-o na prática ao invés de reduzi-lo ao discurso.
    A protagonista é Judy Hopps, a primeira policial coelha de Zootopia.

    Depois de enfrentar a descrença de todos, ela conseguiu se formar na Academia e agora vive seu primeiro dia de trabalho… Como guarda de trânsito. Irritada com a falta de confiança do chefe, ela assume sozinha um caso de desaparecimento e faz um acordo: se não resolver o mistério em 48 horas, ela entregará seu distintivo.
    Zootopia
    A história de Hopps, a princípio, soa bastante familiar e não foge muito dos dramas convencionais de heróis que “provam seu valor e quebram paradigmas”. Mas “Zootopia” vai muito além. Depois de provar que pode ser uma policial coelha, Hopps ainda terá que encarar de frente seu próprio preconceito e tentar combater o medo de toda a sociedade contra um tipo específico de animal: os predadores.
    A grande sacada do filme não é a lição que ele traz, mas sim a forma como ele a traz, mostrando que o preconceito está enraizado e se expressa das formas mais sutis – que, muitas vezes, nem percebemos. O parceiro de Judy, por exemplo, é uma raposa, mas ela se refere a ele como sendo “diferente”. Então todas as raposas seriam ruins, exceto ele?
    A forma como os animais são retratados facilita essa “primeira impressão”, levando o público a pensar como ela e a se perceber igualmente preconceituoso: a raposa é apresentada primeiramente como um malandro, os preguiças são lentos, o búfalo é bruto, o leão é traiçoeiro… Todos estereótipos que, em um momento ou outro, serão quebrados.
    Para se pensar sobre nossas crenças , o que pensamos e acreditamos sobre nós mesmos e como podemos fazer diferente, transcender e transformar estas crenças.


    Sempre estamos desejando que nossa vida mude, que algo aconteça…. Acontece que esquecemos que ações e pensamentos movimento o universo. Hoje olhando para as barbáries que são noticiadas todos os dias, observando a atitude das pessoas na rua me assusto. Que mundo estamos deixando para nossos filhos? Quais os reais valores que estamos vivendo hoje e passando para eles? O mais incrível é que não adianta esperarmos a mudança no mundo de fora ele tem que começar no mundo de dentro. Pensando sobre isso ouvi esta música hoje e senti uma necessidade enorme de dividir esta mensagem. Cada um fazendo um pouquinho…. sendo luz, incendiando com uma pequena faísca.

    Disney Channel Stars-Send It On-Official Music Video

    Miley Cyrus

    Send It On (ft. Jonas Brothers, Demi Lovato & Selena Gomez)

    A word is just a word
    Uma palavra é apenas uma palavra
    Until you mean what you say
    Até que você queira dizer o que disse
    And Love is a love
    Um amor é um amor
    Until you give it away
    até que você o entregue
    we all got to give
    todos nós temos de dar
    yeah something to give to make a change
    sim algo a dar para fazer uma mudança

    Send it on
    Envie
    On and on
    Mais e mais
    Just one hand can heal another
    Uma só mão pode curar outra
    Be apart
    Faça parte
    Reach your heart
    Atinja o seu coração
    Just one spark starts a fire
    Basta uma faísca para fazer uma fogueira
    With one little action
    Com um pouco de ação
    The chain reaction will never stop
    A reação em cadeia nunca vai parar
    Make us Strong
    Nos faz mais fortes
    Shine a Light and Send it On
    Brilhe uma Luz e Envie-a

    Just smile and the world will smile along with you
    Basta sorrir e o mundo irá sorrir com você
    That small acts of love
    Aqueles pequenos gestos de amor
    Then the one will become two
    Virarão dois
    If we take the chances
    Se aproveitarmos as chances
    To change circumstances
    Para mudar as circunstâncias
    Imagine all that we could do
    Imagine tudo o que poderíamos fazer
    If we…
    Se nós …

    Send it on
    Envie
    On and on
    Mais e mais
    Just one hand can heal another
    Uma só mão pode curar outra
    Be apart
    Faça parte
    Reach your heart
    Atinja o seu coração
    Just one spark starts a fire
    Basta uma faísca para fazer uma fogueira
    With one little action
    Com um pouco de ação
    The chain reaction will never stop
    A reação em cadeia nunca vai parar
    Make us Strong
    Nos faz mais fortes
    Shine a Light and Send it On
    Acenda uma Luz e Envie-a
    Send it on
    Há poder em todas as escolhas que fazemos

    There’s Power in all the choices we make
    então eu estou começando agora, não há momento a
    so i’m starting now not a moment to wait
    perder
    a words just a word
    uma palavra só uma palavra
    until you mean what you say
    até você querer realmente dizer o que disse
    and love is just a love
    um amor não é só um amor
    until you give it away
    até que você o entregue

    Send it on
    Envie
    On and on
    Mais e mais
    Just one hand can heal another
    Uma só mão pode curar outra
    Be apart
    Faça parte
    Reach your heart
    Atinja o seu coração
    Just one spark starts a fire
    Basta uma faísca para fazer uma fogueira
    With one little action
    Com um pouco de ação
    The chain reaction will never stop
    A reação em cadeia nunca vai parar
    Make us Strong
    Nos faz mais fortes
    Shine a Light and Send it On
    Acenda uma Luz e Envie-a
    Send it on
    Envie

    Send it on
    Envie
    On and on
    Mais e mais
    Just one hand can heal another
    Uma só mão pode curar outra
    Be apart
    Faça parte
    Reach your heart
    Atinja o seu coração
    Just one spark starts a fire
    Basta uma faísca para fazer uma fogueira
    With one little action
    Com um pouco de ação
    The chain reaction will help things start
    A reação em cadeia ajudará as coisas começarem
    Make us Strong
    Nos faz mais fortes
    Shine a Light and Send it On
    Acenda uma Luz e Envie-a
    Shine a Light and Send it On
    Acenda uma Luz e Envie-a
    Shine a Light and Send it On
    Acenda uma Luz e Envie-a

    Fabiana de Thomaz


    13 Reasons Why

    13 Reasons Why

    Depois de tantas chamadas e polemicas este final de semana decidi assistir “13 Reasons Why “a nova série do Netiflix que tem como narradora a adolescente Hannah Baker. A série inicia com Hannah começando uma nova vida em uma cidade nova e claro nova escola, novos amigos.

    Já no primeiro episódio fui…

    seduzida pela forma como a história é contada, mas antes para você que ainda não assistiu, vou contar o enredo desta história que nos faz parar e pensar sobre quem somos, como agimos e o que estamos prontos para perceber.

    Hannah Baker é uma adolescente que se suicida, ela deixa gravado 13 fitas que explicam os 13 motivos pelo qual ela decide tirar a própria vida. No decorrer dos episódios trama vai se desenrolando e enrolando todos os personagens e suas histórias individuais também vão sendo reveladas.

    A série vai muito além do bullying e assédio, 13 Reasons Why trata de questões como a homofobia, o machismo, o estupro, o abandono, a rejeição, valores morais e obviamente, o próprio suicídio.

    O interessante é perceber como ela sentiu, viveu cada um dos fatos, pois a série mostra os fatos sobre a perspectiva, o olhar de Hannah Baker. Eu muitas vezes me questionei sobre como aquele fato que parecia tão bobo, podia ter causado tamanho estrago na vida dela e sim, assim aconteceu, dos fatos mais simples aos mais pesados.

    Uma somatória de eventos interpretados e vividos por uma adolescente que se mostrava determinada e decidida, com um bom senso de humor e até mesmo durona que na verdade apenas se escondia atrás destes comportamentos todos.

    Hannah Baker uma garota frágil que precisava ser vista, ser aceita. Uma garota que a cada instante se torna mais fragilizada e ninguém percebeu a sua dor.

    Todo o seriado propõe uma série de reflexões válidas sobre diversos pontos de vista:

    • Compreender a verdade individual, cada um tem a sua.
    • Ir além do que a pessoa mostra para o mundo
    • A necessidade das pessoas em serem aceitas o que as faz ter comportamentos que vão contra seus próprios valores.
    • Como pequenos fatos da nossa vida, uma palavra, um mínimo gesto pode ser devastador e carregamos isso para o resto da vida, com sofrimento.
    • Para se defender como não medimos nossos atos e consequências.
    • Como não somos ensinados a nos responsabilizarmos por nossas vidas, nossas histórias e nossos atos

    Se você já não assistiu, compartilhe seu olhar aqui comigo. Se ainda não assistiu, assista, vale a pena repensar.

    Aproveite

    Fabiana de Thomaz


  • Artigos
  • Porque devemos gastar dinheiro com experiências e não com coisas.

    Porque devemos gastar dinheiro com experiências e não com coisas.

    A maioria das pessoas está em busca da felicidade.
    E há economistas que pensam que a felicidade é o melhor indicador da saúde de uma sociedade.
    Sabemos que o dinheiro pode fazer você mais feliz, e apesar de que suas necessidades básicas estejam atendidas,

    isso não necessariamente faz de você uma pessoa mais feliz. Assim, uma das maiores questões é como alocar o nosso dinheiro para esse propósito, este que é (para a maioria de nós) um recurso limitado.

    Há uma hipótese muito lógica que a maioria das pessoas faz quando está gastando seu dinheiro: que, porque um objeto físico vai durar mais tempo, ele vai nos fazer mais felizes por mais tempo do que uma única experiência como um concerto ou suas férias. De acordo com pesquisas recentes, verifica-se que esta suposição é completamente errada.

    “Um dos inimigos da felicidade é a adaptação”, diz Dr. Thomas Gilovich, professor de psicologia na Universidade de Cornell que estuda a questão do dinheiro e felicidade por mais de duas décadas.“Nós compramos as coisas para nos fazer felizes, e nisso somos bem sucedidos. Mas só por um tempo. Coisas novas são excitantes para nós no início, mas depois nos adaptamos a eles”.

    Então ao invés de comprar o mais recente iPhone ou um novo BMW, Gilovich sugere que você vai ter mais felicidade se gastar dinheiro em experiências como a ida à exposições de arte, fazendo atividades ao ar livre, aprendendo uma nova habilidade ou viajando.

    As descobertas de Gilovich são a síntese de estudos psicológicos realizados por ele e outros pesquisadores para o paradoxo de Easterlin, que constatou que o dinheiro compra a felicidade, mas só até certo ponto. Como a adaptação afeta a felicidade, por exemplo, em um estudo foi pedido às pessoas que fizessem um auto-relato de sua felicidade com os seus principais produtos materiais e suas compras experienciais. Inicialmente, a percepção de felicidade com essas compras foram classificadas como iguais. Mas ao longo do tempo, a satisfação das pessoas com as coisas compradas caiu, enquanto que a sua satisfação com as experiências que haviam investido subiram.

    É contra-intuitivo que algo como um objeto físico que você pode manter por um longo tempo não mantê-lo tão feliz enquanto uma experiência (resultado de um evento único) faz. Ironicamente, o fato de que uma coisa material estar sempre presente é justamente o fator que joga contra, tornando-o mais fácil de se adaptar no nosso dia-a-dia. Ele desaparece no fundo e torna-se parte do novo normal. Mas, enquanto a felicidade de compras materiais diminui ao longo do tempo, as experiências tornam-se uma parte intrínseca da nossa identidade.

    “Nossas experiências são uma parte maior de nós mesmos do que são os nossos bens materiais”, diz Gilovich. “Você pode realmente gostar de seu produto material. Você pode até pensar que parte de sua identidade está ligado a essas coisas, mas mesmo assim elas permanecem separadas de você. Por outro lado, suas experiências realmente são parte de você. Nós somos a soma total de todas as nossas experiências“.

    Um estudo conduzido por Gilovich ainda mostrou que, se as pessoas têm uma experiência que dizem ter impactado negativamente a sua felicidade, uma próxima vez que têm a oportunidade de contar sobre isso, sua avaliação sobre a experiência sobe. Gilovich atribui isso ao fato de que algo que poderia ter sido estressante ou assustador no passado pode se tornar uma história engraçada para contar em uma festa ou ser vista como uma inestimável experiência de vida.

    Outra razão é que as experiências compartilhadas nos conectam mais a outras pessoas do que o consumo compartilhado de produtos. É muito mais provável que você se sente mais ligado a alguém que tirou férias com em Bogotá como você do que alguém que também comprou a mesma TV 4K.

    Texto original do Co.Exist. Tradução por Igor Drudi


    Fazer o que ama - Artigo

    Fazer o que ama

    Eu ouço muitas pessoas dizerem que já é tarde para realizar seus sonhos, ou ainda fazer aquilo que ama. Como assim? Eu sempre pergunto.

    Somos muito jovens quando precisamos decidir aquilo que queremos SER. Não estou falando apenas profissionalmente, mas sim como pessoas, nos relacionamentos. Tomamos então diversas decisões na adolescência e inicio da fase adulta que, “ditarão” o que seremos para o resto de nossas vidas…. Pesado isso não?

    Eu sei bem o que é isso… Com meus 18 anos decidi ser Dentista. Me esforcei, entrei na faculdade, me formei, montei meu consultório e iniciei a minha jornada adulta. Responsabilidades….
    Comecei a passar mais tempo conversando com meus pacientes sobre suas vidas, do que cuidando de seus dentes… Enfim, eu decidi por algo que na época achava que gostava, não que eu não gostasse, eu gostava mas não amava.
    A vida me trouxe caminhos e pessoas que me ajudaram a descobrir o que realmente eu amava fazer. Mergulhei no autoconhecimento para poder lidar com meus conflitos internos, afinal como eu iria primeiro assumir para mim que não queria mais fazer aquilo e depois como eu iria anunciar isto ao mundo?
    Fui buscar ferramentas para que eu pudesse realmente fazer aquilo que amo fazer, meu propósito de vida e por este motivo estou aqui hoje escrevendo para você.
    Acha que parou por ai? Não ainda tenho muitos sonhos e muitos objetivos ligados ao que eu amo! Cada dia mais um passo, sempre e sempre.
    E você esta fazendo aquilo que você ama?


    Qual é o melhor método para se autoconhecer?

    Aprender, por definição, é a retenção de conhecimento, a aquisição de habilidade prática, ou a mudança de comportamento decorrente de um novo conhecimento, habilidade ou atitude retidos.
    É por meio da aprendizagem que passamos a falar um novo idioma, que retemos conhecimento o suficiente para aprovação em um concurso público ou que dominamos uma habilidade prática para implementar determinadas ferramentas e técnicas no ambiente de trabalho.
    Mas como aprender a se conhecer melhor?

    A resposta mais óbvia é: estudando por meio da leitura. Resposta ERRADA.
    O melhor caminho para o autoconhecimento é através de treinamentos vivencias que permitem que você veja, ouça e sinta cada situação que você está vivendo, percebendo assim de forma mais específica quem é você.
    Você já deve imaginar que se conhecer de forma plena é preciso ir além de uma simples leitura, assistindo um vídeo ou mesmo discussão em grupo. A aprendizagem pode se dar por meio de palestras, leitura, recursos audiovisuais, demonstrações de uso, grupos de discussão, porém o maior aprendizado para o autoconhecimento é vivenciando situações que o levarão a perceber suas emoções e observar seus comportamentos. Você irá perceber o que te impulsiona e o que te limita, e desta forma poderá escolher quais caminhos você pode trilhar.
    O mais comum é que as pessoas busquem aprender por meio de palestras e pela leitura. Infelizmente, essas formas de aprendizagem são as que possuem a menor retenção possível do conhecimento. Apenas 5% e 10%, respectivamente.
    O uso de ferramentas audiovisuais e demonstrações sobre como usar o conteúdo transmitido aumentam a retenção do conhecimento para até 30%. Ainda é pouco, mas já é melhor do que nos casos anteriores.
    Discutir o assunto em grupo, por sua vez, já aumenta imensamente a aprendizagem. A retenção média do conhecimento sobe para cerca de 50%.
    Isso acontece porque o cérebro começa a interagir mais profundamente com aquilo que você pretende discutir.
    Os questionamentos dos outros e a necessidade de emitir uma opinião fazem com que você tenha que pensar com mais cuidado sobre os vários detalhes do conteúdo. Isso faz com que você aprenda mais.
    Ao partir para vivenciar os fatos, a retenção média muito chegando a mais de 80%. Porém, é muito importante colocar em prática aquilo que foi aprendido porque faz com que sua mente e seu corpo tenham uma interação enorme com o conhecimento.
    Mas qual a melhor forma de aprender, segundo a pirâmide?
    TREINAMENTOS VIVÊNCIAIS.
    No WINNER TRAINING – Questão de Honra você irá em um final de semana aprender muito mais do que você jamais imaginou sobre você e suas capacidades.


    Não

    SIM ao invés de NÃO

    Quantas vezes você disse sim querendo dizer não?
    Respire fundo e pense com carinho.
    Eu posso responder por mim que já fiz bastante isso e me arrependi amargamente por cada não que calei em mim.
    Eu, muitas vezes fiquei com medo de magoar pessoas queridas, de decepcioná-las. Com medo de não ser aceita ou amada, e aliás quem não tem.

    Muitas vezes eu disse sim, pois não queria me sentir culpada pela frustação, estresse ou tristeza do outro. Não queria ser a responsável pelo pesar de uma pessoa querida, mas ao chegar em casa quem estava se sentindo frustrada, triste e estressada era eu.
    O que eu não compreendia era que as sensações e sentimentos que eu buscava amenizar no outro eu causa dores e ressentimentos em mim.
    Às vezes, dizer um não é tão difícil que parece que dentro da gente acontece uma luta entre o que a gente quer realmente dizer e o que a gente acha ser o mais bonito a dizer. Isso acontece em muitas outras situações, somos nossas experiências e o nosso diálogo interno esta sempre nos lembrando disso. Não importa em que momento da sua história você aprendeu que dizer não podia poupar perdas, ou ainda que dizer sim lhe trouxe algum ganho. A maneira como este seu comportamento foi criado e mantido só você pode saber, porém mesmo sem saber a fundo, você hoje adulto, pode rever este comportamento trazendo uma nova maneira de agir para se respeitar.
    É comum que a gente caia na tentação de dizer sim só para agradar. De aceitar o que vai contra nossos valores, pela simples razão de achar que esse sim fará com que o outro nos aceite e ame mais.
    Não, o outro não vai nos amar mais pelos nossos sins. Eu diria que é o contrário. Quem nos ama de verdade continua a nos amar pelos nossos sins e, especialmente, pelos nossos nãos.
    Quem nos ama de verdade busca compreender nossas razões. Nos respeita e entende que temos nossos limites e que abusar deles é abusar do que há de mais íntegro em nós.
    Claro que ao mudar a sua maneira de ser as pessoas irão estranhar, elas não sabem muitas vezes ouvir o não de você afinal você é a pessoa do SIM. Mas não se preocupe, tenha paciência e persistência, diga as pessoas como se sentia antes e como se sente agora se respeitando. Abra seu coração e lembre-se cada um tem uma maneira de viver de receber as coisas e elas precisam aprender a lidar com este novo você.
    Não permita que os outros digam o que é certo ou errado para você. Respeite seus valores. Negue o que te parece incorreto, incerto, suspeito, de mau gosto ou não apropriado.
    Diga sim para você e aprenda a dizer não para os outros, sem medo e sem culpa.
    Respeite-se!

    Fabiana de Thomaz França Oliveira


    5 dicas para ter um dia mais leve

    Quem faz o seu dia? Parece uma pergunta muito simples de responder, porém ela nos faz pensar.
    Na rotina ficamos sobrecarregados com tarefas, compromissos, relacionamentos, enfim com as atividade diárias que executamos de maneira automática, muitas vezes sem se dar conta do que realmente fizemos, vivemos.

    Assim os dias podem ir de tornando monótonos, cansativos e cada vez mais desgastante e pesados.
    Você conseguiu responder a pergunta que fiz no início dessa nossa conversa?
    Você faz o seu dia, seus comportamentos, pensamentos e sentimentos fazem o seu dia.
    Pequenos hábitos podem fazer o dia a dia ficarem muito mais conscientes e leves.
    Siga as dicas a seguir e traga leveza e consciência para a sua vida.

    5 dicas para ter um dia mais leve

    Fabiana de Thomaz


    A Distância

    A Distância

    A distância não se resume a espaço, a distância pode ser um vão criado por nós entre pessoas que estão muito próximas fisicamente ou ainda um buraco entre você e você.

    Infelizmente o mundo de hoje nos incentiva a compartilhar informações porém não a compartilhar carinho, atenção, palavras e gestos.

    No mundo do celular, tablete e computador estar perto e distante se torna ainda mais comum.

    Claro que tudo tem seus prós e contras e que precisamos exercitar a medida certa, o bom senso e acima de tudo o amor por nós mesmos.

    Quantas vezes esta semana você teve momentos de contato com pessoas que fazem parte da sua vida mas mesmo assim estavam todos muito longe? Se isso não acontece com você parabéns você é um sortudo, pois a maioria de nós estamos cada vez mais nos protegendo, nos resguardando da vida enquanto ela simplesmente passa , acontece sem que nos demos conta.

    A Distância

    Quantas vezes esta semana você se afastou daquilo que era importante para você? Estes momentos abrem ainda mais o buraco entre o você e o que quer vir a ser, espanta seus sonhos e tira qualquer motivação.

    O que torna este espaço duradouro é a capacidade que temos de nos esconder do que nos faz bem, de nos oferecer o que é cotidiano e não nos darmos a permissão de experimentar o novo, o comodismo….

    Arriscar ter pequenos gestos faz com que a vida tenha outro tom, outro sabor, uma nova melodia. Se aproximar de você, dos seus anseios , medos, dúvidas, vontades é um passo na escalada do bem estar e da felicidade. Compartilhar palavras e ações com as pessoas a sua volta é construir um mundo rico, cheio de nuances e detalhes que fazem a diferença.

    A Distância

    Fabiana de Thomaz França Oliveira


    Qual o destino?

    Você pensaria em iniciar uma longa viagem sem saber para onde vai?

    Bom acredito que não, no mínimo um destino, não é mesmo?

    Acontece que a maioria das pessoas não tem a mínima ideia de onde quer chegar na vida, quais são sãos verdadeiros sonhos e como transformá-los em objetivo. Passam pela vida sem rumo, aceitando , ou lamentando , o que ela nos traz e oferece… para quem não sabe onde quer chegar qualquer lugar serve, não é mesmo?

    Se você é uma destas pessoas este texto com certeza poderá modificar este pensamento. Agora se você tem destino certo, este texto irá reafirmar a sua importância e trazer a luz novas experiências.

    Pessoas que sabem onde querem chegar estão no caminho certo para tornarem-se pessoas bem sucedidas em seu destino, Será?

    Para alcançar seu destino é necessário ter um objetivo bem delineado, traçar uma rota, o caminho, passo a passo, estabelecendo uma estratégia clara e bem definida com tempo determinado … e acima de tudo ter atitude e decidir a dar o primeiro passo. Sair da zona de conforto e cair na estrada da vida agindo, planejando, aprendendo, persistindo até chegar ao seu destino.

    Ok, sei onde quero chegar, tenho um plano, um caminho, com prazo e agi….o meu sucesso é inevitável?

    Ainda não, afinal de nada adianta tudo isso se você não acreditar piamente que pode alcançar aquele objetivo. É preciso acreditar ser merecedor do seu sucesso e assim será capaz de alcançar o seu destino destino . É preciso acreditar em você..

    Cada coisa no seu lugar… Espere ai, a cada passo mais empecilhos?
    Não, em absoluto, ter um destino talvez seja pouco, agora ter um Projeto de Vida, com propósito claro, planejamento, ação e fé, ai sim o seu sucesso esta Garantido.
    E como fazer isso?

    O primeiro passo é o autoconhecimento, conhecer quem é você, quais são seus verdadeiros sonhos e anseios, ter consciência das suas limitações e dos seus medos, descobrir quais são seus talentos e potencialidades. O desenvolvimento pessoal é o caminho certo para que você possa alcançar o seu sucesso.

    Se você ainda não tem o seu Projeto de Vida hora de correr atrás. Se você já possui, atualizar e buscar cada vez mais ferramentas para melhorá-lo e adequá-lo as suas reais necessidades é fundamental… E se você já tem o seu Projeto e o esta finalizando, chegando no seu destino, lembre-se que a vida continua, comemore suas realizações e permita-se ter novos sonhos, um Novo Destino…

    Fabiana de Thomaz


    5 Dicas para buscar o autoconhecimento

    Conhece-te a ti mesmo

    Conhecer a si mesmo, não é tarefa das mais fáceis, tendo em vista, que muitas vezes as pessoas ao nosso redor, nos conhecem melhor do que nós mesmos. O autoconhecimento nos leva a conhecer nossos pontos fortes e fracos, habilidades, vontades, ambições e isso nos dá um direcionamento na vida.

    Os antigos filósofos acreditavam que o autoconhecimento é uma conquista ou realização, que traz saúde e liberdade para o indivíduo. Essa crença tem suas origens no conhecido oráculo de Delfos, templo da Grécia Antiga dedicado ao deus Apolo, onde acreditava-se que deuses, juntamente com ninfas e musas, orientavam as pessoas.

    O que se encontrava na entrada do oráculo era a inscrição ”conhece-te a ti mesmo”. Para Sócrates, filósofo grego, conhecer-se é o ponto de partida para uma vida equilibrada e, por conseguinte, autêntica e feliz. Devido à pressão social, deixamos de lado nossa missão pessoal e buscamos apenas o lado material, esquecendo de dar a devida importância ao nosso real anseio interior.

    Sem o conhecimento do nosso universo interior, não poderemos nos conhecer verdadeiramente.

    Como se conhecer melhor?

    1. Faça uma autoavaliação. Descubra suas qualidades, defeitos, medos, limitações.

    2. Converse com pessoas que convivem com você. Pergunte a amigos, familiares, colegas de trabalho sobre você.3. Analise suas experiências anteriores e atuais. A partir das experiências vividas e atuais, dá para você entender seu comportamento e quem você é.

    3. Analise suas experiências anteriores e atuais. A partir das experiências vividas e atuais, dá para você entender seu comportamento e quem você é.

    4. Procure a melhor forma de estar em contato com você através de treinamentos de desenvolvimento pessoal e terapias.

    5. Invista tempo em você e para estar com você buscando descobrir e reconhecer a cada dia suas sensações, sentimentos e comportamentos a cada dia

    Investir no autoconhecimento, é abrir as portas para a evolução pessoal. É necessário um olhar interior, uma análise minuciosa para conhecer a si mesmo e melhorar como pessoa, como ser humano. O processo de autoconhecimento é extremamente benéfico, tendo em vista, que nos traz segurança, autoestima, independência. Além de possibilitar que façamos boas escolhas, já que, podemos ter controle sobre nossos sentimentos e nossas atitudes.

    Fabiana de Thomaz


    13 Motivos para você investir em desenvolvimento pessoal

    13 Motivos para você investir em Desenvolvimento Pessoal

    Uma das grandes dificuldades que tenho percebido nestes anos de trabalho dentro desta maravilhosa área que é o Desenvolvimento Pessoal, é que as pessoas tem muitas crenças e preconceitos relacionados a esta área que é tão importante para o ser Humano.

    Claro que, durante um tempo uma febre de livros e técnicas de auto ajuda, auxiliou e muito o preconceito pois um assunto tão importante foi tratado com certa banalidade o que levou a descrença.

    Percebo hoje que a falta de informação sobre o assunto é que faz com que as pessoas criem tantas resistências, afinal não tem uma pessoa com a qual eu tenho conversado e feito a seguinte pergunta:
    Você acredita que pode ser uma pessoa melhor para você e para as pessoas do seu convívio? que não tenha me respondido: sim eu posso.

    Se você acha que pode ser melhor eu pergunto em seguida, o que falta então para isso e ai recebo das mais diversas resposta. Uma coisa eu posso afirmar, você só pode se tornar melhor através do Desenvolvimento Pessoal.

    O importante em primeiro lugar é estar aberto a novidades, a novos conceitos e a buscar informações.
    Motivos para investir você em Desenvolvimento Pessoal
    Desenvolvimento pessoal é uma área de estudo do “Ser” que abarca diversos conhecimentos, conceitos, recursos e técnicas relacionadas ao desenvolvimento do potencial humano. Cada um de nós, seres humanos, ter um potencial inato poderoso e ilimitado, que por inconsciência, em vez de ser utilizado para se realizar é utilizado como uma forma de auto-sabotagem. . Quando consciencializado este potencial infinito, colocado ao serviço de intenções positivas e grandiosas, dá origem a grandes feitos e grandes realizações dignas de apreciação e de reconhecimento geral.

    O Desenvolvimento pessoal pressupõe um crescimento:

    •Cognitivo.
    •Emocional.
    • Pessoal.

    Observados através dos comportamentos que implicam “o falar”, a forma de estar, pensar, sentir e agir…

    O Desenvolvimento Pessoal visa trabalhar:
    1 Auto-conhecimento – Ser mestre de si mesmo e, consequentemente, um ser humano melhor. Ter percepção dos bloqueios e limitações e supera-los com o poder da consciência de si e da mente. Compreender e perceber nossas sensações e sentimentos de forma consciente e produtiva, usando a nosso favor.
    2 Realização pessoal e profissional – Buscar ter atitudes proativas para planejar e alcançar os objetivos de vida. Buscar a qualidade de vida e plenitude.
    3 Planeamento pessoal – Melhorar a performance de vida.
    4 Administração do tempo – Investir tempo no que é útil para o crescimento interior e bem estar.
    5 Comunicação interpessoal – Buscar aprimorar a comunicação com as pessoas que fazem parte da sua vida melhorando assim as relações . O sucesso na comunicação não depende só da forma como a mensagem é transmitida, a compreensão dela é fator fundamental
    6 Relacionamento humano – Relacionamento entre pessoas é a forma como eles se tratam e se comunicam. Estar com pessoas que nos façam sentir especiais e nos impulsionem para o que é positivo, nos motivem e vice-versa.
    7 Qualidade de vida – Envolve o bem físico, mental, psicológico e emocional, além de relacionamentos sociais, como família e amigos e também a saúde, educação, poder de compra e outras circunstâncias da vida.
    8 Empreendedorismo – Indivíduo que detém uma forma especial, inovadora, de se dedicar às atividades de organização, administração, execução; principalmente na geração de riquezas, na transformação de conhecimentos e bens em novos produtos – mercadorias ou serviços
    9 Poder mental – Desenvolver as funções mentais em prol das realizações e conquistas positivas: Funções do consciente: raciocínio, análise, lógica, capta as informações via cinco sentidos, poder de escolha, tempo e espaço, diferencia o certo e o errado, entre outras funções. Funções do inconsciente: responde por, aproximadamente, 90% do comportamento, memória profunda, controla as funções orgânicas, fenômenos paranormais, entre outras.
    10 Liderança – É a habilidade de motivar e influenciar as pessoas, de forma ética e positiva, para que contribuam voluntariamente e com entusiasmo para alcançarem os objetivos da equipe e da organização.
    11 Motivação – É uma força interior que se modifica a cada momento durante toda a vida, onde direciona e intensifica os objetivos de um indivíduo.
    12 Produtividade – A relação entre a produção e os factores de produção utilizados.
    Educação financeira
    13 Marketing pessoal – Valorizar o ser humano em todos os seus atributos e características. Inclusive em sua complexa estrutura física, intelectual e espiritual. Visa possibilitar a utilização plena das capacidades e potencialidades humanas na área profissional e na da vida pessoal.

    Bom depois de ler este texto eu te pergunto, você acha que seria importante para a sua vida obter este Desenvolvimento Pessoal?
    Motivos para investir você em Desenvolvimento Pessoal
    Acredito que estamos a todo o instante em transformação, recebendo informações, nos desenvolvendo, porém não focamos em estarmos melhores conosco, com nossas emoções e sensações, com nossos pensamentos e sentimentos, com nossos comportamentos e assim com as pessoas que estão a nossa volta.

    Lembre-se que a felicidade não é o destino é o caminho e este caminho pode ser espetacular se você estiver disposto a ser quem você pode ser.
    Motivos para investir você em Desenvolvimento Pessoal

    6 Motivos para você Desenvolver o Bom Humor

    O nosso senso de Humor é uma maneira importante de nos comunicarmos com o mundo e com o Universo. Através de nossas expressões, palavras e gestos nos conectamos com as pessoas, expressamos nossas opiniões e valores e precisamos estar sempre atentos da forma como nos apresentamos e falamos.

    “ O Senso de Humor pode Nivelar as ondulações na estrada do Sucesso. “ ( Napoleon Hill)

    Se você é uma daquelas pessoas que foram abençoadas com um temperamento alegre, considere-se um afortunado.

    Se você não é uma destas pessoas, não se preocupe, pois você pode desenvolver esta habilidade este temperamento, afinal, você já teve momentos assim na sua vida não é mesmo?

    1 – Bom Humor atrai pessoas

    É óbvio que um bom senso de Humor torna-o uma pessoa apreciada, mais atraente. O que já é um bom caminho para alcançar o que você almeja, afinal quem não gosta de estar ao lado de pessoas com um bom astral que contagiam e que trazem uma sensação de bem estar?

    2 – Nos ajuda a lidar com fracassos momentâneos

    Quando desenvolvemos o bom humor conseguimos incentivar o desenvolvimento de um olhar positivo para as situações difíceis em nossas vidas. Assim conseguimos nos focar em soluções ao invés de problemas, nos colocando a cada infortúnio mais próximos do sucesso.

    3- Nos proporciona senso crítico produtivo

    O bom Humor nos possibilita olhar para os momentos da nossa história de forma produtiva, ao invés de ficarmos nos lamentando frente as situações difíceis vividas no passado, damos espaço para aproveitar os aprendizados adquiridos em cada um destes fatos. Nestes momentos ganhamos acesso ao maior tesouro que um ser humano pode ter, nossa vida, e ainda podemos gozar deste tesouro em abundância.

    4 – O Bom Humor nos lança para nossas metas

    Quando desenvolvemos o Bom Humor estamos adquirindo recursos que nos levarão a considerar os problemas como degraus para o sucesso. Cada problema que solucionar o aproximará cada vez mais da sua meta.

    Lembre-se de que todas as más situações poderiam ser piores.

    5- O Bom Humor nos abre os olhos da Gratidão

    Ao desenvolver o bom Humor a gratidão se torna presente em nossa vida, ela é a grande oportunidade de contemplarmos as maravilhas que possuímos e que na maior parte do tempo não nos damos conta. Agradecer é uma maneira de dizer a si que fez um bom trabalho, que você esta no caminho certo.

    6 – A lei do retorno

    A lei do retorno, lei da física que diz que toda ação tem uma reação, acontece em todo universo e assim ela contempla a nossa história com o que oferecemos para o Mundo. Ao oferecer o Bom Humor você recebe do universo a energia necessária para que você alcance suas metas, mais acima de tudo, tenha qualidade de vida e sinta prazer em ser quem Você é.

    E como fazer para desenvolver o Bom Humor?

    Através do Desenvolvimento pessoal, o autoconhecimento, auto compreensão de seus comportamentos e crenças. Ao conhecer a si você pode lidar com a vida de outra maneira trazendo leveza para as situações, afinal a vida é para ser vivida e estamos aqui para sermos felizes. Fica mais fácil não levar tudo tão a sério, empenhar-se em melhorar a qualidade de seus relacionamentos, passamos assim a sorrir mais, a falarmos de coisas boas nos fazem bem. Tornamos nossos momentos felizes nossas grandes inspirações.

    Sorria, cerque-se de gentilezas, desenvolva seu Bom Humor e perceba que cada instante é simplesmente Incrível!!!


    Filme Separados pelo Casamento

    Dicas Especiais para Conhecer a Si

    Conhecer a si mesmo, não é tarefa das mais fáceis, tendo em vista, que muitas vezes as pessoas ao nosso redor, nos conhecem melhor do que nós mesmos. O autoconhecimento nos leva a conhecer nossos pontos fortes e fracos, habilidades, vontades, ambições e isso nos dá um direcionamento na vida.

    Os antigos filósofos acreditavam que o autoconhecimento é uma conquista ou realização, que traz saúde e liberdade para o indivíduo. Essa crença tem suas origens no conhecido oráculo de Delfos, templo da Grécia Antiga dedicado ao deus Apolo, onde acreditava-se que deuses, juntamente com ninfas e musas, orientavam as pessoas.

    O que se encontrava na entrada do oráculo era a inscrição ”conhece-te a ti mesmo”. Para Sócrates, filósofo grego, conhecer-se é o ponto de partida para uma vida equilibrada e, por conseguinte, autêntica e feliz. Devido à pressão social, deixamos de lado nossa missão pessoal e buscamos apenas o lado material, esquecendo de dar a devida importância ao nosso real anseio interior.

    Sem o conhecimento do nosso universo interior, não poderemos nos conhecer verdadeiramente.

    Como se conhecer melhor?

    1. Faça uma autoavaliação. Descubra suas qualidades, defeitos, medos, limitações.

    2. Converse com pessoas que convivem com você. Pergunte a amigos, familiares, colegas de trabalho sobre você.

    3. Analise suas experiências anteriores e atuais. A partir das experiências vividas e atuais, dá para você entender seu comportamento e quem você é.

    4. Procure a melhor forma de estar em contato com você através de treinamentos de desenvolvimento pessoal e terapias.

    5. Invista tempo em você e para estar com você buscando descobrir e reconhecer a cada dia suas sensações, sentimentos e comportamentos a cada dia

    Investir no autoconhecimento, é abrir as portas para a evolução pessoal. É necessário um olhar interior, uma análise minuciosa para conhecer a si mesmo e melhorar como pessoa, como ser humano. O processo de autoconhecimento é extremamente benéfico, tendo em vista, que nos traz segurança, autoestima, independência. Além de possibilitar que façamos boas escolhas, já que, podemos ter controle sobre nossos sentimentos e nossas atitudes.

  • Filmes
  • Filme Separados pelo Casamento

    Mãos Talentosas

    Neste Final de semana friozinho nada como um bom filme para investirmos o nosso tempo. Mãos talentosas é um filme capaz de fazer diferença nos conceitos de qualquer um que assistir de mente e coração abertos. Nos promove a reflexão sobre nossas raízes, o quanto somos hoje o que nos fizeram acreditar no passado e o quanto alguém acreditar em você faz diferença na vida. Tenho certeza que este filme fará toda a diferença no seu final de semana e na sua Vida

    SINOPSE: Uma história edificante com performances ótimas e fortes. Esta é a história do Dr. Ben Carson, considerado o melhor cirurgião do mundo pediátrica. Um homem negro criado por uma mãe solteira em circunstâncias difíceis, Carson passou a ser um neurocirurgião de renome mundial e do diretor de neurocirurgia pediátrica do Hospital Johns Hopkins. Há tantos obstáculos que Carson teve de ultrapassar, na era racial da discriminação. O filme é estrelado por Cuba Gooding Jr., em excelente desempenho, como Carson. Ele tornou-se um sucesso desde a motivação de sua mãe, e claro de sua própria motivação para se tornar um médico. Uma incrível história desta mãe e seu amor e determinação. É uma incrível história de alguém que tinha as “Mãos Talentosas” para ser um grande cirurgião, mas também a determinação, humildade e fé para fazer uma vida de grande serviço humanidade. Dr. Carson, fez uma grande contribuição para a medicina que está sendo usado até hoje.

    Filme Separados pelo Casamento

    Separados pelo casamento

    Final de semana esta ai e um bom filme é sempre bom para podermos relaxar, descansar e pensar…. aprender.

    Este filme Separados Pelo Casamento é um exemplo clássico das questões básicas que tiram o sossego de um casal. A comunicação deficiente, a falta de especificidade nesta comunicação, a flata que faz a noção de que Mapa não é Território além dos diversos achismos, conselhos truncados enfim é um exemplo excelente de como não fazer se você quer ter um bom relacionamento.

    Vale a pena!!!!

  • Metáforas
  • Metáfora do Golfinho, da carpa e do tubarão

    Metáfora do Golfinho, da carpa e do tubarão

    Uma brilhante metáfora criada por Dudley Lynch e Paul Kordis do Brain Technologies Institute – do tubarão, da carpa e do golfinho.
    Existem três tipos de animais: as carpas, os tubarões e os golfinhos. A carpa é dócil, passiva e que quando agredida não se afasta nem revida. Ela não luta mesmo quando provocada. Se considera uma vítima, conformada com seu destino.

    Alguém tem que se sacrificar, a carpa se sacrifica. Ela se sacrifica porque acredita que há escassez. Nesse caso, para parar de sofrer ela se sacrifica. Carpas são aquelas pessoas que numa negociação sempre cedem, sempre são os que recuam; em crises, se sacrificam por não poderem ver outros se sacrificarem. Jogam o perde-ganha, perdem para que o outro possa ganhar.
    Declaração que a carpa faz para si mesmo:

    • “Sou uma carpa e acredito na escassez. Em virtude dessa crença, não espero jamais fazer ou ter o suficiente. Assim, se não posso escapar do aprendizado e da responsabilidade permanecendo longe deles, eu geralmente me sacrifico.”

    Nesse mar existe outro tipo de animal: o tubarão. O tubarão é agressivo por natureza, agride mesmo quando não provocado. Ele também crê que vai faltar. Tem mais, ele acredita que, já que vai faltar, que falte para outro, não para ele!

    “Eu vou tomar de alguém!” O tubarão passa o tempo todo buscando vítimas para devorar porque ele acredita que podem faltar vítimas. Que vítimas são as preferidas dos tubarões? Acertou, as carpas. Tanto o tubarão como a carpa acabam viciados nos seus sistemas. Costumam agir de forma automática e irresistível. Os tubarões jogam o ganha-perde, eles tem que ganhar sempre, não se importando que o outro perca.
    Declaração que o tubarão faz para si mesmo:

    • “Sou um tubarão e acredito na escassez. Em razão dessa crença, procuro obter o máximo que posso, sem nenhuma consideração pelos outros.
    Primeiro, tento vencê-los; se não consigo, procuro juntar-me a eles.”

    O terceiro tipo de animal: o golfinho. Os golfinhos são dóceis por natureza. Agora, quando atacados revidam e se um grupo de golfinhos encontra uma carpa sendo atacada eles defendem a carpa e atacam os seus agressores.
    Os “Verdadeiros” golfinhos são algumas das criaturas mais apreciadas das profundezas. Podemos suspeitar que eles sejam muito inteligentes – talvez, à sua própria maneira, mais inteligentes do que o Homo Sapiens. Seus cérebros, com certeza, são suficientemente grandes – cerca de 1,5 quilograma, um pouco maiores do que o cérebro humano médio – e o córtex associativo do golfinho, a parte do cérebro especializada no pensamento abstrato e conceitual, é maior do que o nosso. E é um cérebro, como rapidamente irão observar aqueles fervorosos entusiastas dedicados a fortalecer os vínculos entre a nossa espécie e a deles, que tem sido tão grande quanto o nosso, ou maior do que o nosso, durante pelo menos 30 milhões de anos.

    O comportamento dos golfinhos em volta dos tubarões é legendário e, provavelmente, eles fizeram por merecer essa fama. Usando sua inteligência e sua astúcia, eles podem ser mortais para os tubarões. Matá-los a mordidas? Oh, não! Os golfinhos nadam em torno e martelam, nadam e martelam. Usando seus focinhos bulbosos como clavas, eles esmagam metodicamente a “caixa torácica” do tubarão até que a mortal criatura deslize impotente para o fundo.

    Todavia, mais do que por sua perícia no combate ao tubarão, escolhemos o golfinho para simbolizar as nossas idéias sobre como tomar decisões e como lidar com épocas de rápidas mudanças devido às habilidades naturais desse mamífero para pensar construtiva e criativamente. Os golfinhos pensam? Sem dúvida. Quando não conseguem o que querem, eles alteram os seus comportamentos com precisão e rapidez, algumas vezes de forma engenhosa, para buscar aquilo que desejam. Golfinhos procuram sempre o equilíbrio, jogam o ganha-ganha, procuram sempre encontrar soluções que atendam as necessidades de todos.

    Declaração que o golfinho faz para si mesmo:
    • “Sou um golfinho e acredito na escassez e na abundância potenciais. Assim como acredito que posso ter qualquer uma dessas duas coisas – é esta a nossa escolha – e que podemos aprender a tirar o melhor proveito de nossa força e utilizar nossos recursos de um modo elegante, os elementos fundamentais do modo como crio o meu mundo são a flexibilidade e a capacidade de fazer mais com menos recursos.”

    Se os golfinhos podem fazer isso, por que não nós?
    Achamos que podemos.


    Clube 99

    Clube 99

    Era uma vez um rei muito rico.
    Tinha tudo. Dinheiro, poder, conforto, centenas de súditos.
    Ainda assim não era feliz.
    Um dia, cruzou com um de seus criados, que assobiava alegremente enquanto esfregava o chão com uma vassoura. Ficou intrigado. Como ele, um soberano supremo do reino, poderia andar tão cabisbaixo enquanto um humilde servente parecia desfrutar de tanto prazer?

    - “Por que você está tão feliz?”, perguntou o rei.

    - “Majestade, sou apenas um serviçal. Não necessito muito. Tenho um teto para abrigar minha família e uma comida quente para aquecer nossas barrigas”.

    Clube 99

    O rei não conseguia entender. Chamou então o conselheiro do reino, a pessoa em que mais confiava.

    - “Majestade, creio que o servente não faça parte do Clube 99″

    - “Clube 99? O que é isso?”

    - “Majestade, para compreender o que é o Clube 99, ordene que seja deixado um saco com 99 moedas de ouro na porta da casa do servente”.

    E assim foi feito.

    Quando o pobre criado encontrou o saco de moedas na sua porta, ficou radiante. Não podia acreditar em tamanha sorte. Nem em sonhos tinha visto tanto dinheiro.

    Clube 99

    Esparramou as moedas na mesa e começou a contá-las.

    -”…96, 97, 98… 99.”

    Achou estranho ter 99. Achou que poderia ter derrubado uma, talvez. Provavelmente eram 100. Mas não encontrou nada. Eram 99 mesmo.

    Por algum motivo, aquela moeda que faltava ganhou uma súbita importância.

    Com apenas mais uma moeda de ouro, uma só, ele completaria 100.

    Um número de 3 dígitos! Uma fortuna de verdade.

    Ficou obcecado por completar seu recente patrimônio com a moeda que faltava.

    Decidiu que faria o que fosse preciso para conseguir mais uma moeda de ouro. Trabalharia dia e noite. Afinal, estava muito muito muito perto de ter uma fortuna de 100 moedas de ouro. Seria um homem rico, com 100 moedas de ouro.

    Daquele dia em diante, a vida do servente mudou.

    Passava o tempo todo pensando em como ganhar uma moeda de ouro. Estava sempre cansado e resmungando pelos cantos. Tinha pouca paciência com a família que não entendia o que era preciso para conseguir a centésima moeda de ouro. Parou de assobiar enquanto varria chão.

    O rei percebeu essa mudança súbita de comportamento e chamou seu conselheiro.

    Clube 99

    - “Majestade, agora o servente faz, oficialmente, parte do Clube 99″.

    E continuou:

    - “O Clube 99 é formado por pessoas que têm o suficiente para serem felizes, mas mesmo assim não estão satisfeitas. Estão constantemente correndo atrás desse 1 que lhes falta. Vivem repetindo que se tiverem apenas essa última e pequena coisa que lhes falta, aí sim poderão ser felizes de verdade. Majestade, na realidade é preciso muito pouco para ser feliz. Porém, no momento em que ganhamos algo maior ou melhor, imediatamente surge a sensação que poderíamos ter mais. Com um pouco mais, acreditamos que haveria de fato, uma grande mudança. Só um pouco mais. Perdemos o sono, nossa alegria, nossa paz e machucamos as pessoas que estão a nossa volta. E o pouco mais, sempre vira… um pouco mais. O pouco mais é o preço do nosso desejo.”

    E concluiu:

    - “Isso, majestade… é o Clube dos 99″

    O Grande detalhe é que a maioria procura este 1 no mundo e ele precisa ser encontrado dentro de nós.
    Conhece a ti mesmo…

    Filme Separados pelo Casamento

    Mãos Talentosas

    Certo dia um garotinha estava sentada assistindo TV quando um comercial lhe chamou a atenção, não pelo produto que buscava vender em si, mas sim por uma palavra que o locutor disse ao final da propaganda: Colecione!!
    Uma palavra que ela nunca tinha ouvido e, como curiosa que sempre foi, correu perguntar a sua mãe o que significava aquela nova palavra.

    – Mãe o que é colecionar? Perguntou a garota.

    – Colecionar é quando você escolhe algo que tem semelhanças para acumular. Por exemplo quando eu tinha a sua idade colecionava papéis de carta, qualquer papel para carta que via não importava se era com desenho , ou colorido eu guardava, aliás tenho esta pasta até hoje, você quer ver? Disse a mãe.

    – Quero sim mãe. – respondeu a menina muito interessada.

    A mãe foi ao quarto e trouxe a pasta. A menina sentou-se e dedicou seus próximos 10 minutos a admirar uma coleção. Ficou encantada como podia existir tantas coisas diferentes e parecidas ao mesmo tempo. Tomou uma decisão:

    – Mãe eu serei uma grande colecionadora! Disse a menina.

    A mãe sorriu e disse:

    – Legal, mas o que você vai colecionar? Perguntou a mãe.

    – Irei colecionar muitas coisas….. e saiu planejando sua primeira coleção….

    Os anos se passaram e a decisão tomada se manteve, a menininha passo a vida a colecionar coisas, desde borrachas, selos, a obras de arte se tornado a maior colecionadora do mundo.

    Neste momento , já uma mulher, a vida ficou estranha, ela tinha colecionado tudo que desejava e hoje um imenso vazio tomava conta dela. Poxa o que será que faltava?
    Então a mãe , já bem idosa, chamou sua filha para uma conversa.

    – Você se lembra do dia em que você decidiu ser uma colecionadora? Perguntou a mãe.

    – Sim, claro que me lembro, você me mostrou a sua coleção de papéis de carta. Fiquei encantada com cada um deles.

    – É foi este momento sim, mas gostaria de que olhássemos aquela pasta de novo pode ser? Disse a mãe.

    – Puxa mãe eu também colecionei papeis de carta e a minha coleção é 10 vezes maior que a sua, para que olhar aquilo de novo? Disse a filha.

    – Por favor, insistiu a mãe.

    A filha meio contrariada decidiu gastar um pouco de seu tempo com a mãe que já estava idosa e talvez meio caduca.

    A mãe foi ao quarto pegou a pasta e disse: Esta foi a minha única coleção mas que alimentei pela vida toda. Ela abriu a primeira página e mostrou o primeiro papel de carta.

    – Este papel foi o primeiro de muitos e o dia que o ganhei da minha mãe ela me disse : que este seja o primeiro papel em que você registre sua história, as tristezas e alegrias que virão. Naquele dia decidi que iria colecionar papeis de carta e que os achava muito lindos para escrever mas sei exatamente o significado que tem cada um deles. Cada um representa um momento da minha história. Uma vitória, uma derrota, um amor, uma decepção, um ganho e uma perda. Nesta pasta não estão apenas papeis de carta , esta pasta é a maior coleção no mundo, a coleção dos momentos que vivi, cada um deles e hoje posso olhar e preencher meu coração com cada momento sempre que quiser.

    A filha olhou para a mãe com os olhos cheios de lágrimas e disse:

    – Você pode me ajudar a fazer a maior coleção da minha vida?

    – Sim.

    E ali ficaram as duas por horas relembrando tudo que haviam vivido.

    Fabiana de Thomaz França Oliveira

    Filme Separados pelo Casamento

    Quem decide suas ações?

    Um colunista conta uma estória em que acompanhava um amigo à uma banca de jornais.

    O amigo cumprimentou o jornaleiro amavelmente, mas como retorno recebeu um tratamento rude e grosseiro.

    Pegando o jornal que foi atirado em sua direção, o amigo do colunista sorriu polidamente e desejou um bom fim de semana ao jornaleiro.

    Quando os dois amigos desciam pela rua, o colunista perguntou:

    – Ele sempre te trata com tanta grosseria?

    – Sim, infelizmente foi sempre assim…

    – E você é sempre tão polido e amigável com ele?

    – Sim, procuro ser.

    – Por que você é tão educado, já que ele é tão inamistoso com você?

    – Por que não quero que ele decida como eu devo agir.

    Nós é que decidimos como devemos agir e reagir – não os outros!


    Filme Separados pelo Casamento

    O Caso do Espelho

    Era um homem que não sabia quase nada. Morava longe, numa casinha de sapé esquecida nos cafundós da mata.

    Um dia, precisando ir à cidade, passou em frente a uma loja e viu um espelho pendurado do lado de fora. O homem abriu a boca. Apertou os olhos. Depois gritou, com o espelho nas mãos:

    – Mas o que é que o retrato de meu pai está fazendo aqui?

    – Isso é um espelho – explicou o dono da loja.

    – Não sei se é espelho ou se não é, só sei que é o retrato do meu pai.

    Os olhos do homem ficaram molhados.

    – O senhor… conheceu meu pai? – perguntou ele ao comerciante.

    O dono da loja sorriu. Explicou de novo. Aquilo era só um espelho comum, desses de vidro e moldura de madeira.

    – É não! – respondeu o outro. – Isso é o retrato do meu pai. É ele, sim! Olha o rosto dele. Olha a testa. E o cabelo? E o nariz? E aquele sorriso meio sem jeito?

    O homem quis saber o preço. O comerciante sacudiu os ombros e vendeu o espelho, baratinho

    Naquele dia, o homem que não sabia quase nada entrou em casa todo contente. Guardou, cuidadoso, o espelho embrulhado na gaveta da penteadeira.

    A mulher ficou só olhando.

    No outro dia, esperou o marido sair para trabalhar e correu para o quarto. Abrindo a gaveta da penteadeira, desembrulhou o espelho, olhou e deu um passo atrás. Fez o sinal da cruz tapando a boca com as mãos. Em seguida, guardou o espelho na gaveta e saiu chorando.

    – Ah, meu Deus! – gritava ela desnorteada. – É o retrato de outra mulher! Meu marido não gosta mais de mim! A outra é linda demais! Que olhos bonitos! Que cabeleira solta! Que pele macia! A diaba é mil vezes mais bonita e mais moça do que eu!

    – Quando o homem voltou, no fim do dia, achou a casa toda desarrumada. A mulher, chorando sentada no chão, não tinha feito nem a comida.

    – Que foi isso, mulher?

    – Ah, seu traidor de uma figa! Quem é aquela jararaca lá no retrato?

    – Que retrato? – perguntou o marido, surpreso.

    – Aquele mesmo que você escondeu na gaveta da penteadeira!

    O homem não estava entendendo nada.

    – Mas aquilo é o retrato do meu pai! Indignada, a mulher colocou as mãos no peito:

    – Cachorro sem-vergonha, miserável! Pensa que eu não sei a diferença entre um velho lazarento e uma jabiraca safada e horrorosa?

    A discussão fervia feito água na chaleira.

    – Velho lazarento coisa nenhuma! – gritou o homem, ofendido.

    A mãe da moça morava perto, escutou a gritaria e veio ver o que estava acontecendo. Encontrou a filha chorando feito criança que se perdeu e não consegue mais voltar pra casa.

    – Que é isso, menina?

    – Aquele cafajeste arranjou outra!

    – Ela ficou maluca – berrou o homem, de cara amarrada.

    – Ontem eu vi ele escondendo um pacote na gaveta lá do quarto, mãe! Hoje, depois que ele saiu, fui ver o que era. Tá lá! É o retrato de outra mulher!

    A boa senhora resolveu, ela mesma, verificar o tal retrato.

    Entrando no quarto, abriu a gaveta, desembrulhou o pacote e espiou. Arregalou os olhos. Olhou de novo. Soltou uma sonora gargalhada.

    – Só se for o retrato da bisavó dele! A tal fulana é a coisa mais enrugada, feia, velha, cacarenta, murcha, arruinada, desengonçada, capenga, careca, caduca, torta e desdentada que eu já vi até hoje!

    E completou, feliz, abraçando a filha:

    – Fica tranqüila. A bruaca do retrato já está com os dois pés na cova!

    E então, o que achou?

    Incrível como muitas vezes ao olhar no espelho não reconhecemos quem somos. Isso é muito comum, pelo simples fato de sermos moldados pela vida a sermos pessoas adequadas as situações e as relações, mas muitas vezes deixamos de lado quem somos e esquecemos e nos afastamos da nossa essência. Pense sobre isso, olhe por alguns instantes no espelho…

  • Podcast
  • Videos
  • Video Aula Planejamento

    Video Aula Emoções

    Video Aula Comunicação

    Quer receber mensagens inspiradoras?

    Newsletter

    e-mail (obrigatório)

    Digite o texto da imagem

    captcha